• Braga & Lopes Advocacia

Maioridade previdenciária

O filho menor de 21 anos é beneficiário do segurado falecido e sua dependência econômica é presumida, ou seja, não há que ser provada.


Ocorre que muitos filhos maiores de 21 anos, por estarem estudando, continuam a depender economicamente e desejam prorrogar o recebimento da pensão por morte.


Diferente da pensão alimentícia que pode ser estendida até os 24 anos para o filho universitário, o benefício previdenciário cessa com a maioridade previdenciária - 21 anos e não há possibilidade de prorrogação.


Lembrando que o filho maior que tenha deficiência continua a ter direito ao benefício após os 21 anos.


Em caso de dúvidas ou não concessão do benefício de pensão por morte entre em contato conosco.


www.bragaelopesadvocacia.com.br

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Laudo similar

No caso da empresa ter sido extinta e o trabalhador não conseguir obter o PPP para provar a especialidade do tempo trabalhado em condições insalubres, é possível valer se de outro recurso. Há a possib

Limbo previdenciário

Muito comum a situação em que o empregado, afastado da empresa por mais de 15 dias por motivos de saúde, tem seu auxílio doença negado pelo INSS. Com a negativa do benefício, o empregado tenta voltar

Telefone: (31) 3566-3196

(31) 99349-7477 - (31) 99201-2308

Sede: Rua Rio de Janeiro, 462, sala 1.111, Centro,

Belo Horizonte/MG

  • whatsapp-png-branco-png-image-286994

© by Braga e Lopes Advocacia e Consultoria Jurídica.